Seis tenistas espanhóis são suspensos por longos períodos após condenações por manipulação de resultados

Seis tenistas espanhóis receberam longas proibições depois de serem condenados por acusações criminais relacionadas à manipulação de resultados.

Os jogadores foram condenados na Espanha como parte de um caso em andamento envolvendo crime organizado.

Todos os seis se declararam culpados e receberam penas suspensas de dois anos de prisão.

A Agência Internacional de Integridade do Tênis dissefoi “uma das infiltrações mais significativas do tênis pelo crime organizado que vimos”.

As proibições do tênis variam de sete a 22 anos.

Marc Fornell-Mestres, Jorge Marse-Vidri, Carlos Ortega, Jaime Ortega, Marcos Torralbo e Pedro Bernabe Franco foram multados em 450 euros cada pelo tribunal.

O ITIA também impôs suas próprias punições financeiras, com Fornell-Mestres multado em 250.000 euros, dos quais 200.000 euros foram suspensos, e Marse-Vidri multado em 15.000 euros com 5.000 euros suspensos.

Os restantes jogadores receberam multas totais de 450.000 euros, dos quais 390.000 euros foram suspensos.

Eles não podem jogar ou participar de qualquer evento organizado por uma associação internacional ou nacional, ou treinar no futebol profissional.

O ranking mundial mais alto de Fornell-Mestres foi 236 em 2007 e ele ganhou dois títulos do ATP Challenger Tour, enquanto Marse-Vidri alcançou 562 em 2008. Os outros quatro jogadores estavam todos sem classificação.

“Esta decisão envia uma forte mensagem de que a manipulação de resultados é um crime que pode levar a condenações criminais”, disse o presidente-executivo da ITIA, Jonny Gray.

“Congratulamo-nos com o envolvimento de agências de aplicação da lei e a acusação de redes criminosas inteiras, não apenas os jogadores envolvidos.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.