Eddie Jones: técnico da Inglaterra admoestado pela RFU por críticas ao sistema de escolas particulares

O técnico da Inglaterra, Eddie Jones, foi advertido pela Rugby Football Union por criticar a dependência da seleção nacional no sistema de escolas particulares.

Jones, 62, afirmou que o caminho produziu jogadores que desfrutaram de uma “vida fechada” e não tinham “resolução” em uma entrevista de fim de semanacom o jornal i.

Oito da seleção da Inglaterra que venceu o teste decisivo de julho na Austrália foram total ou parcialmente educados em escolas particulares.

Jones foi lembrado do “papel valioso” que o setor desempenhou, disse a RFU.

“A RFU agradece imensamente e apoia o papel que os setores de escolas independentes e estaduais desempenham na introdução de meninos e meninas ao nosso esporte e no caminho do jogador”, acrescentou um comunicado.

“Uma abordagem colaborativa e fortes parcerias no setor de educação garantem que os jogadores sejam apoiados e tenham oportunidades de desenvolvimento em todas as escolas.

“O elenco masculino mais recente da Inglaterra continha jogadores que se beneficiaram do tempo em escolas independentes, incluindo Maro Itoje e Henry Arundell, além de muitos do setor estadual, incluindo Jonny Hill e Courtney Lawes.

“Como sindicato, estamos sempre trabalhando para ampliar o apelo e a acessibilidade da união de rugby para meninos e meninas de uma ampla gama de origens.”

O sindicato disse que seu presidente-executivo, Bill Sweeney, conversou pessoalmente com o técnico australiano, cujo contrato com Twickenham expira após a Copa do Mundo do ano que vem, sobre seus comentários.

Jones afirmou em sua entrevista que “você terá que explodir tudo”, já que o sistema rendeu jogadores jovens que lutavam para liderar porque “tudo está feito para você”.

“Quando estamos na frente, somos os melhores do mundo”, acrescentou Jones. “Quando não estamos na frente, nossa capacidade de encontrar uma maneira de vencer, nossa determinação, não é como deveria ser.”

O setor independente produziu a maior parte da seleção inglesa vencedora da Copa do Mundo de 2003 e o técnico dessa seleção, Sir Clive Woodward, classificou as críticas de Jones como “insultantes, divisivas e desrespeitosas”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.